23 agosto 2006

Um só dia!


Momentos de desejo, emoção,
Toques que percorreram a pele
Acariciando a alma arrefecida.

A conquista simples, sentida,
Profunda mas não pura!

A vontade de dominar
Intensificando o chamado,
O apelo constante da natureza.

A força que aproximou os nossos olhares,
Os nossos corpos...
Como se algo meu estivesse aí,
Em ti!

Depois o destino!
O tempo que passou
Sem te querer ouvir.

A persistência trouxe-te até mim
Para me veres partir!

Corações despedaçados
Esqueceram-se do que era amar.

O futuro condenou-nos a ausência do presente!

Se vivêssemos um dia com sinceridade.

Um só dia poderia alimentar tamanha dor?

4 comentários:

Maria disse...

Um só segundo vivido com a intensidade de amar e ser amada, completa toda a ausência, essa que só existe em quem não ama, nos seres vazios de sentimentos, e vendidos pelo materialismo...Beijitos

stela disse...

Não sei se um só dia chegaria... mas tenho a certeza que valeria a pena!
bj

Mafalda phera Loira disse...

Já me fizeste xorar... ai...

Anónimo disse...

Um dia de sinceridade são anos de poesia...