19 março 2008

D' Ouro...


No tempo à espera
enquanto as horas passam
outros falam,
eu observo a noite fria lá fora,
onde o luar me guia!

Contigo o amor foi embora...
estou febril,
deliro nos nossos momentos,
assim vejo-te mais...
para além do fim!

Porque em ti nada me cansou,
porque em ti tudo anseio,
porque em ti tudo compreendi,
porque em ti ficou um pouco de mim!

Tudo é absurdo,
quero-te de volta!

Deixa-me ir...

Diz-me por onde ir...
mas não venhas!

Deixa-me na solidão,
na ilusão...
que por outros caminhos
chegará o amor!
(Acaba aqui o prazo! Passou!)

14 março 2008

Se te disser, será tarde!




Misturo ideias do tempo em que te esqueci,

na sensibilidade dos momentos sucessivos

as emoções impediram-me de o fazer por ti,

passaram na mente como nevoeiro escuro!



No resumo de um texto sem fim,

fecho a história

com a sabedoria de quem sabe sofrer em sí!

13 março 2008

04 março 2008

Na neblina do sonho sorriamos roxos com medo da vida!



Já quase à tardinha,
Falavas-me empolgado de encontrarmos o caminho.
Contudo à partida o cenário branco
Fazia-me meditar naquelas palavras…

Como se pudesse prever,
Sorria roxa
E tu tão querido dizias,
Gosto de ti

Por todo lado pessoas, crianças gritavam,
E nós serenos percebíamos que existíamos…

Na neblina do sonho sorriamos roxos com medo da vida!
E tu tão querido dizias,
Há uma história, nós temos uma história...

Por fim e no medo do fim
Entendi, era mel, o gosto doce !