31 julho 2008

Escrevo!

Se escrever é viver,
Vivo mais agora que deixaste os meus braços (sem abraços).
Escrevo porque o meu vaidoso orgulho não me deixa falar,
Sonho porque não me deixei uma tarde, uma noite viver.

O meu amor por ti existiu calado
Por se considerar demais, desajustado.

Não vivemos lado a lado,
Não criamos,
Nada deixamos…

Hoje, peço desculpa… errei,
Quando me julguei superior, afinal sou humana.