09 fevereiro 2007

Nos teus dedos





Procuro o toque dos teus dedos,
Em mais uma noite arrefecida,
Nos teus olhos surgem meus medos,
Nos teus desejos a minha inocência perdida.

Longe vão os tempos em que ateada,
Era capaz de propagar incêndios,
Agora receio qualquer ardor da paixão,
Medos de quem já se viu queimada!

3 comentários:

Maria disse...

Medos quem não vive com eles? Caminhar nas cinzas, com esperança de crer para tornar a ser...é crescer. É encontrar as estrada verde qua passa ao lado da vereda queimada, é sentir que podemos de novo amar, é viver!
Beijitos,
Maria

Chris disse...

Medo é um sinal de que estamos vivos...
adorei os teus posts...
(:

Beijinhos

Maria José disse...

E lê-se tudo como se fosse um retrato do nosso passado...