31 outubro 2006

Destino, ou não...



Procuro-te entre multidões calculadas,
Onde sei que te posso encontrar,
Deixo a certeza para o destino
Sem acaso.

Momentos há em que a vontade de ficar
Nos amarga a partida.

Apenas o nosso sorriso...
Tudo o resto são mentiras onde nos escondemos.

Ao pé de ti, represento.
Ao pé de mim, representas.

Vivemos papeis encenados por convenções,
Papeis que nos afastam da selva
Que te pode levar de mim.

Encarrego o destino
Desta vez sem calculos
De nos juntar...
Ou não...

6 comentários:

stela disse...

agora arrepiei-me!
este texto parece a minha história!
Sério!

Maria disse...

A vida não passa de um palco, onde melhor ou pior representamos o nosso papel, até ao dia em que resolvemos criar a nossa própria história, e essa não será feita pelo destino, sim pelos sonhos construidos por nós...Beijitos

Alma Nova disse...

Enquanto esperas pelo destino a vida passa-te ao lado. Quando deres por ti, olhas para trás e pode ser tarde demais...

Pedro Jorge Moreira da Silva disse...

Quando as palavras nos vêem da alma
esta simples belo
em poucas palavras dizes muito continua

Folha|em|Branco disse...

Ai ai .. vai haver um dia em que caia o pano e o destino dê asas ao encontro, sem adeus.. ;)

Aninhas disse...

Gostaria de juntar todos os comentários, num só...

Muito realista!!!