26 fevereiro 2006

A procura da entrada




Atormentada procurei as palavras...
A perspectiva é nova, a energia voltou,
troquei as acusações descontentes por momentos diferentes.
Situações em que teria perdido se... mas não perdi.
Pormenores fizeram sempre a diferença,
estiveste sempre presente.
Agora procuro em ti, amor, a porta de saída.
Sei que não me vou cansar na procura.

Preparo-me para o fim, enquanto luto.
Entro nas batalhas de cabeça baixa,
a proteger-me para suportar melhor a perda.
Gostava de poder lutar, mesmo que fosse uma vez...

Iria mostrar-me que também sou capaz de ganhar.
Crio ilusões da luta, ilusões do máximo esforço.
A realidade é que apenas me protejo, desde o início.

Foco a minha atenção no fim, parto com a linha de chegada
na mente, vivo de forma depressiva.
Em função da perda.
Apaguei das memórias as crenças.
Como gostava que me fizesses acreditar!

Ciclos completam-se quando chegam ao fim.
Sei que este é um novo ciclo quero acreditar
que será diferente, mas foi sempre assim!

Sinto-me longe, afastada de mim...
Perdida, sem acreditar mais em ti!
Deixei-te ir, quis o fim...

1 comentário:

A Litle More disse...

O fim existe, mas o renascer tambem..